Exibir Ação

Campus:
CAMPUS SOBRAL
Tipo da Ação:
Projeto
Título:
Mulheres dos rios: empreendedorismo, empoderamento e valorização para as que vivem dos pescados.
Área Temática:
Trabalho
Linha de Extensão:
Empreendedorismo
Data de Início:
01/03/2024
Previsão de Fim:
01/12/2024
Nº mínimo de pessoas beneficiadas:
50
Nº máximo de pessoas beneficiadas:
100
Local de Atuação:
Urbano-Rural
Fomento:
-
Programa Institucional
Nenhum
Modelo de Oferta da Atividade:
Presencial
Municípios de abrangência
Sobral
Formas de Avaliação:
Frequência
Relatório
Participação
Formas de Divulgação:
Entrega presencial de convites
Convite
Redes sociais
Folder
Atividades Realizadas:
Nome do Responsável:
Mirla Dayanny Pinto Farias
Equipe:
Nome Instituição Categoria Vínculo Receberá bolsa? Horas Semanais Dedicadas Início da Participação Fim da Participação
Ana Venuto Ramos IFCE Integrante Discente IFCE Não 2 01/03/2024 30/06/2024
Antonio Judyson Mororo do Nascimento IFCE Integrante Discente IFCE Não 2 01/03/2024 30/06/2024
Cillas Ferreira Damasceno IFCE Integrante Discente IFCE Não 2 01/03/2024 30/06/2024
David de Sousa Ferreira IFCE Integrante Discente IFCE Não 2 01/03/2024 30/11/2024
Felipe Costa de Souza IFCE Integrante Discente IFCE Não 2 01/03/2024 30/11/2024
Francisco Erisvaldo Sousa dos Santos IFCE Integrante Discente IFCE Não 2 01/03/2024 30/06/2024
Jorge Luis França do Nascimento IFCE Integrante Discente IFCE Não 2 01/04/2024 30/06/2024
Jose Igor Pereira da Silva IFCE Integrante Discente IFCE Não 2 01/04/2024 30/06/2024
Kassiane de Andrade Lima IFCE Integrante Discente IFCE Não 2 01/03/2024 30/06/2024
Laiane do Nascimento Ferreira IFCE Integrante Discente IFCE Não 2 01/03/2024 30/06/2024
Mirla Dayanny Pinto Farias IFCE Coordenador Docente IFCE Não 4 01/03/2024 01/12/2024
Vitória Emidio Ripardo IFCE Integrante Discente IFCE Não 2 01/03/2024 30/11/2024
Parcerias:
Instituição Parceira Parceria Formalizada? Instrumento Utilizado Número do Instrumento
Mercado Público de Sobral Não
Orçamento:
Conta Valor
Passagens e Despesas com Locomoção 0,00
Outros Serviços de Terceiros - Pessoa Jurídica 0,00
Outros Serviços de Terceiros - Pessoa Física 0,00
Material de Consumo 0,00
Equipamento e Material Permanente 0,00
Encargos Patronais 0,00
Diárias - Pessoal Civil 0,00
Bolsa - Auxílio Financeiro a Pesquisadores 0,00
Bolsa - Auxílio Financeiro a Estudantes 0,00
Vínculos:
Ação Tipo
Apresentação
A palavra "pescado" engloba os peixes, crustáceos, moluscos, anfíbios, quelônios e mamíferos de água doce ou salgada, usados na alimentação humana (BRASIL, 2017). O pescado está entre os gênero de maior vulnerabilidade à deterioração, pois possuem alta atividade de água nos tecidos, alto teor de nutrientes, o que ajuda com que os microrganismos tenham uma ação rápida e destrutiva (OLIVEIRA; IAHNKE, 2022). Devido a sua alta perecibilidade, se faz necessário uma manipulação adequada e a conservação do peixe em baixas temperaturas. Por esta razão, torna-se essencial a manutenção da cadeia de frio e a manipulação em condições sanitárias adequadas em toda cadeia produtiva. Dentro desta cadeia produtiva estão as mulheres que assumem alguns papeis como pescadoras, fileteiras, descascadeiras, marisqueiras, catadoras, remendeiras, vendedoras e muitas vezes são mulheres ou filhas de pescador. Neste contexto elas participam ativamente das atividades de empreendedorismo e muitas não tem informações sobre Boas Práticas de Manejo, de manipulação e vendas adequadas dos pescados. Em muitas destas atividades elas são invisíveis, tidas em muitos espaços como simples “ajudantes”. No caso da pesca, essas “ajudantes” respondem por 90% das pessoas que trabalham com as atividades secundárias da pesca no mundo, de acordo com a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO). Desta maneira, este projeto de extensão visa dá visibilidade à essas mulheres, através de ações de capacitações na área de controle de qualidade dos pescados, além de melhoria dos conceitos de empreendedorismo, empoderamento feminino e valorização de seu trabalho nesta cadeia.
Justificativa
A justificativa deste projeto está na visibilidade deste grupo de mulheres que como já citado anteriormente precisam de ações como capacitações em todos os pontos que elas se envolvem na cadeia pesqueira, desde a manipulação adequadas (que precisam ser cumpridas desde a despesca até a venda dos pescados), empreendedorismo e palestras para enaltecer sua valorização e empoderamento. É importante frisar que a capacitação é um assunto que se deve discutir e oferecer para que se tenha inclusão dessas mulheres no mercado, além de que a capacitação possibilita o crescimento sustentável regional, trabalho, renda e qualidade nos produtos oferecidos aos consumidores. Paralelamente promover ações que promovam a melhoria das condições higiênico-sanitárias dos pescados se faz muito necessária, e quando estas ações são realizadas por alunos inseridos em disciplinas ligadas a esta área, agrega um crescimento profissional com a ligação da teoria com a prática, interligação entre o ensino, pesquisa e extensão, além da transformação social destes e da comunidade externa beneficiada. A atuação de alunos em ações extesionistas foram vislumbradas pelo Ministério da Educação (MEC), quando estabelece através da Resolução n°7 de 18 de dezembro de 2018, do Conselho Nacional de Educação (CNE), as Diretrizes para a Extensão na Educação Superior Brasileira e regimenta o disposto na Meta 12.7 da Lei n. 13.005/14. Estas ações foram designadas como Curricularização da Extensão que é o processo de inclusão de atividades de extensão no currículo dos Cursos, considerando a indissociabilidade do ensino e da pesquisa. Portanto as ações deste projeto estão em consonância com estas legislações atuais, além de vislumbrar que os dados obtidos neste projeto possam ser publicados como pesquisa aplicada para aumentar a visibilidade deste público.
Público Alvo
- Mulheres que vivem da pesca (pescadoras e ajudantes) e moram no distrito de Jaibaras, município de Sobral-CE; - Mulheres que vivem da pesca (pescadoras e ajudantes) e moram na cidade de Varjota-CE; - Mulheres que são empreendedoras na área de pescados, ou seja, que vendem em peixarias e boxes do mercado público de Sobral.
Objetivo Geral
Capacitar mulheres que atuam na cadeia pesqueira nos municípios de Sobral e Varjota no estado do Ceará.
Objetivo Específico
- Quantificar as mulheres que vivem da cadeia pesqueira nos munícipios em questão; - Diagnosticar o perfil socioeconômico destas mulheres; - Capacitar as mulheres que vivem da pesca (pescadoras e ajudantes) e moram no distrito de Jaibaras (município de Sobral) e em Varjota; - Realizar mentoria e capacitação para as mulheres empreendedoras da área de pescados; - Realizar palestras sobre empoderamento feminino e competências sócioemocionais; - Promover o desenvolvimento profissional e a percepção crítica dos alunos de cursos ligados à área de alimentos.
Metodologia
A metodologia consistirá nas seguintes fases: Fase 1: Apresentação entre a equipe de trabalho (coordenador do projeto e discentes) e para as mulheres dos municípios em questão e explicações sobre o projeto. Método: reuniões através do google Meet ou presenciais. Fase 2: Familiarização com o ambiente de aplicação do projeto, quantificação diagnóstico das mulheres que vivem da cadeia pesqueira tanto na parte primária (despesca) como na secundária (vendas). Método: visita guiada da coordenação do projeto e alunos. Fase 3: Diagnóstico das condições higiênico-sanitária dos locais que as mulheres executam suas atividades. Método: aplicação da lista de verificação em Boas Práticas (de manejo ou manipulação) in loco. Fase 4: Construção das capacitações pelos alunos do projeto, com os temas que forem relevantes para a promoção dos objetivos aqui citados. Método: reuniões internas; pesquisas bibliográficas. Fase 5: Capacitação em Boas Práticas de manejo, processamento e vendas dos pescados para as mulheres dos municípios em questão. Método: reuniões (com palestras e dinâmicas de grupo), produção de cartilhas e vídeos educativos elaborados pelos alunos. Fase 6: Capacitação em empreendedorismo e gestão financeira para as mulheres dos municípios em questão. Método: reuniões (com palestras e dinâmicas de grupo). Fase 7: Capacitação em empoderamento feminino e competências sócioemocionais para as mulheres dos municípios em questão. Método: reuniões (com palestras e dinâmicas de grupo). Fase 8: Construção de uma página nas redes sociais com vídeos, materiais gráficos e podcast sobre as mulheres que são o público-alvo deste projeto, para dá visibilidade as suas atividades. Método: reunião e construção de uma página nas redes sociais, com ajuda dos alunos do projeto. Fase 9: Avaliação geral do projeto e elaboração do relatório final. Método: reunião interna com livre manifestação.